Boas práticas para seguir ao se fazer um consórcio de automóvel

by / terça-feira, 10 janeiro 2017 / Published in Materiais
fazer um consórcio de automóvel

Quer Fazer um consórcio de automóvel? Conheça algumas boas práticas.

Na hora de fazer um consórcio de automóvel surgem alguma dúvidas frequentes. Neste post iremos mostrar quais são as melhores práticas para você fazer o melhor negócio.

Você já sabe que comprar um bem, como um carro, sai mais barato pelo consórcio do que no financiamento, além de encontrar menos burocracia para aderir aos grupos. Mas vamos listar hoje algumas boas práticas para seguir e não se arrepender da sua decisão.

Estamos falando da realização de um sonho, então é fundamental que você se sinta satisfeito com a sua experiência no consórcio e, mais do que isso, realizado ao comprar o bem que tanto queria.

Você também pode gostar deste post: Melhor administradora de consórcios? Saiba como escolher.

Faça um planejamento financeiro prévio

Como já dissemos em outros posts, fazer um consórcio de automóvel é para quem não tem tanta pressa em retirar o veículo, já que o valor do bem é divido em um número maior de parcelas para diminuir o valor pago mensalmente. Assim, é fundamental fazer uma planejamento financeiro para poder pagar todas as parcelas e não ter problemas de inadimplência.

É importante entender também que o valor mensal é reajustado conforme contrato, para que a última pessoa sorteada tenha o mesmo poder de compra que a primeira. O valor pode ser reajustado conforme o veículo de referência para a compra ou segundo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ou do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Além do valor das parcelas, você precisa se planejar também para a manutenção do carro, gasolina, seguro e outras taxas. Então aproveite o momento antes da contemplação para se programar com todos esses novos gastos.

 

Conferir a legalidade da administradora

Antes de fazer um consórcio de automóvel com uma administradora, você deve conferir se ela está autorizada pelo Banco Central (BC) para operar um consórcio. É o BC que indica se a empresa está regularizada, com alguma restrição ou se está proibida de abrir novos grupos.

Não se pode confiar em uma administradora irregular, uma vez que ela estará operando ilegalmente, muito menos para um grande investimento a longo prazo. Você correrá o risco de perder todo o seu dinheiro e ficar sem o carro que tanto sonha.

 

Entender o contrato de ponta a ponta

Não assine nada sem antes entender o contrato por completo. Tire todas as suas dúvidas com o consultor e recorra até a aconselhamento jurídico se julgar necessário. No contrato, deve constar todos os direitos e deveres de ambas as partes, valores das parcelas, prazos, possibilidades de troca de bem, reajustes, transferência da cota e outras questões.

Fique atento também às taxas, como de adesão e de administração para não ser pego de surpresa e poder fazer o seu planejamento financeiro corretamente.

 

Conhecer seus direitos como consorciado

Pesquise sobre a Lei 11.795, de 2008, referente aos consórcios, para saber todos os seus direitos como consumidor. O contrato muda de administradora para administradora, mas você possui alguns direitos garantidos por essa lei.

Por exemplo, caso sobre dinheiro no fundo do grupo após o encerramento da última assembleia, os membros têm direito à devolução dessa quantia, sendo dividido entre os consorciados conforme previsto em contrato.

Mesmo que a carta de crédito tenha como referência determinado veículo, você não é obrigado a comprar esse modelo, marca ou na concessionária indicada pela administradora. Você tem a total liberdade de escolher o carro que deseja, inclusive pode até comprar uma moto se assim quiser. Basta solicitar à empresa o valor da carta de crédito quando for contemplado e comprar o automóvel de sua preferência.

Também há possibilidade de você não comprar o carro e retirar o dinheiro. Para isso, a administradora deverá abrir uma conta poupança vinculada e depositar o valor do bem em dinheiro. Você poderá retirar a quantia após 180 dias se o grupo estiver ativo ou 60 dias se estiver encerrado.

A lei também determina que, caso um consorciado seja excluído por inadimplência ou desistência, ela continuará participando das assembleias e, quando for sorteado, receberá a quantia corrigida de volta, descontadas a taxa administrativa e uma multa contratual.

 

Acompanhar tudo o que acontece no seu grupo

Por fim, como consorciado, é importante que acompanhe tudo o que acontece no negócio que você fechou para realizar o seu sonho. Então, acompanhe as assembleias, sorteios e lances, bem como os contemplados e possíveis problemas que a administradora possa estar passando, como inadimplência de algum membro.

Siga essas boas práticas e você terá uma ótima experiência com um consórcio. Quer começar já a planejar a compra do carro dos seus sonhos? Acesse nosso e-book especial “Guia Prático do Consórcio” para entender melhor como você pode conquistá-lo!

Deixe uma resposta

TOP